automação de segurança em TI

SAST e DAST

SAST e DAST são as duas soluções mais usadas para localizar vulnerabilidades em um software. 

Mas muitos se perguntam o que difere uma da outra. 

Nesse artigo, explicaremos sobre cada uma e suas respectivas peculiaridades. 

O que são 

Uma preocupação que atinge todas as empresas refere-se à segurança dos seus sistemas e dados. 

Principalmente agora com a expansão dos aplicativos e soluções em nuvem. 

E o SAST (Static application security testing) e o DAST (Dynamic application security testing) são a soluções bem diferentes, indicadas para momentos diferentes, com benefícios variados e dentro do DevSecOps. 

Elas são duas ferramentas muito importantes e usadas para localizar vulnerabilidades em um software, automatizando algumas barreiras de segurança e evitando que o fluxo de trabalho se torne lento. 

O SAST, ou análise estática, é um teste de segurança que analisa o código-fonte para localizar vulnerabilidades que fazem com que os aplicativos fiquem vulneráveis a ataques.  

Ele pode ser definido como um software estático de teste de segurança de aplicativos. 

Deve ser utilizado mais no início e de preferência nos arquivos que possuem o código-fonte. Contudo, o método não consegue identificar fragilidades que surgem com a aplicação em produção. 

O DAST, ou análise dinâmica, é um teste de segurança na qual um aplicativo em execução é testado de fora, o tratando como uma caixa preta.  

Ou seja, um testador que usa o modelo DAST examina um aplicativo quando ele está em execução e tenta ‘hackeá-lo’, simulando o que um invasor faria. 

Ele pode ser definido como um software dinâmico de teste de segurança de aplicativos. 

Deve ser realizado com a aplicação rodando, em ambiente igual ao de produção.  

Mas, esse é um teste mais complexo, e as vulnerabilidades localizadas tendem a ser direcionadas para serem corrigidas somente no próximo começo do ciclo de desenvolvimento.

Diferença entre SAST e DAST 

Algumas diferenças entre as tecnologias: 

SAST 

Usada para teste de segurança de caixa branca 

Age analisando o código-fonte, sem ser necessária a execução do código 

As vulnerabilidades são encontradas antes do desenvolvimento e são menos caras para consertar 

Não consegue identificar problemas relacionados ao tempo e ao ambiente 

É capaz de dar suporte a todos os tipos de software 

DAST 

Usada para teste de segurança de caixa preta 

Age enquanto o aplicativo está em execução 

As vulnerabilidades são encontradas após o desenvolvimento e são mais caras para consertar  

Consegue identificar problemas relacionados ao tempo e ao ambiente  

Encontra problemas que não podem ser identificados em uma análise estática. 

Vantagens de utilizar o SAST 

– encontra problemas mais cedo, antes da implantação; 

– fornece informações detalhadas que sua equipe de engenharia pode usar facilmente para corrigir os problemas, já que olha diretamente para o seu código; 

– garante a conformidade com as diretrizes e padrões de codificação sem realmente executar o código. 

Vantagens de utilizar o DAST 

– encontra problemas de tempo de execução que não podem ser identificados pela análise estática; 

– lista as falhas que ficam visíveis somente quando um usuário de fato efetua um login;  

– identifica rapidamente problemas de autenticação e configuração de servidores. 

Conclusão 

Como podemos perceber, para garantir um nível maior de segurança nos sistemas, uma organização precisa utilizar os principais modelos de testes de segurança. 

Somente assim, é possível detectar problemas e fazer as alterações necessárias.  

E se sua empresa quer contar com um trabalho de excelência, com garantia de um melhor resultado com SAST, DAST e toda a camada de nível de segurança para seus sistemas, entre em contato com nossos especialistas e conheça os serviços que a SManager pode oferecer.